Av. Duque D'Ávila, 28,
2º- Sala 204, 1000-141
Saldanha - Lisboa

Perda e Luto



Perda

Perder alguém que amamos ou de quem gostamos é muito doloroso... Podemos viver emoções muito diferentes e sentir que a tristeza nunca nos deixará...Isso é uma reação normal a uma perda significativa.



As pessoas vivem o luto de formas muito diferentes, no entanto, existem alguns sintomas comuns, tais como: choque e negação; tristeza profunda; culpa; raiva; medo; sintomas físicos.



Ao longo do tempo, com o decorrer do processo de luto, geralmente um período de seis a vinte e quatro meses, a maioria das pessoas começa a notar um aumento da capacidade de tolerância à sua perda. Embora, frequentemente, os sentimentos de tristeza perdurem por muitos anos, a sua capacidade e resiliência para lidar com a perda melhora.




Luto

Quando o luto é complicado...

Algumas pessoas, vivem um luto crónico e complicado, em que o luto é prolongado para além dos dois anos e em que os sintomas se assemelham a uma depressão major, ansiedade generalizada e trauma.



A tristeza de perder alguém que amamos nunca desaparece completamente, mas se a dor da perda permanece tão intensa e constante que o/a impede de viver a sua vida, pode estar a viver um luto complicado. O luto complicado é como estar prisioneiro/a de um intenso estado de sofrimento.



Os sintomas de um luto complicado incluem: uma saudade intensa da pessoa que perdemos; pensamentos ou imagens intrusivas acerca da pessoa querida; negação da situação de perda; procurar a pessoa que perdeu em lugares familiares; evitar coisas que lhe lembrem a pessoa que perdeu; raiva intensa e amargura acerca da perda; sentir que a sua vida é vazia e sem significado.



Outros sintomas que podem sugerir uma situação de depressão são: um sentimento de culpa intenso; pensamentos de suicídio ou uma preocupação com a morte; sentimentos de desesperança e desvalorização; discurso e movimentos corporais lentos; incapacidade de funcionar no trabalho, em casa e/ou na escola; alucinações visuais ou auditivas.



Nestas circunstâncias, é importante pedir a ajuda de um profissional.


 
 
 
 
 
 
Copyright © 2019 inTherapy